21 February 2011

The best thing.

Eu aprendi. Aprendi que é possível dependermos de alguém sem nos sentirmos idiotas, ou presos. Aprendi que é possível amar alguém sem sentir insegurança. Aprendi que podemos namorar e ser carinhosos, sem ser maltratados ou gozados. Aprendi que o amor existe, e as relações apaixonadas não são um mito. Aprendi muita coisa (e tudo contigo, meu amor). Não podemos deixar que a mágoa do passado afecte o nosso presente. Não podemos pensar a toda a hora "vai voltar a acontecer" e acreditar que nunca vamos ter alguém que nos ame a sério e nos respeite e aceite como somos (porque a realidade é que esse alguém existe, pode é demorar a chegar).
E nestes meus ainda apenas 17 anos de existências e desespero pela ansiedade de achar que nunca iria ser realmente feliz, ou ter alguém que me amasse realmente, encontrei. Alguém que não só me aceita, como eu considero uma das melhores pessoas que alguma vez conheci. É quem é, sem segredos, sem mentiras, sem disfarces. Não finge ser quem não é. É ele próprio. E só ele próprio é tão perfeito. Sinto-me completa. És o melhor em mim, e despertas o melhor em mim. Por nunca ninguém me faz mudar como tu fizeste (sem me pedires), me mostrou o amor da forma como me mostraste (mesmo quase sem o conheceres) e me mostrou que a vida é mais que um princípio e um fim, que lhe podemos dar a cor que quisermos e só depende de nós próprios alcançar a felicidade. O destino tem a sua quota parte, mas no geral, tudo está nas nossas mãos. Se vais atrás daquilo que queres com todas as tuas forças, eventualmente esse algo será teu. Fizeste-me crescer, contra todas as minhas expectativas.
Acredito em nós, e mesmo que isto acabe (o que desejo que não aconteça), vais ficar para sempre marcado no meu coração como alguém que me ajudou com tudo, todos os problemas, crises, confusões, traumas; a ultrapassar tudo aquilo que muitos não foram capazes de fazer, com medo de se deixar envolver; como alguém que me tornou uma pessoa mais consciente dos meus actos, daquilo que podemos fazer pelas pessoas, e daquilo que podemos esperar das pessoas, e acima de tudo aquilo que podemos fazer por nós. Sim, porque ambos sabemos que antes de chegares o meu amor próprio era nulo, ou perto disso. E tu chegaste e eu voltei a gostar de mim, voltei a sentir que me pertencia e que merecia tudo, e fazer tudo, e conseguir aquilo que quero. Ensinaste-me a não desistir. Foste, és e serás a melhor coisa que alguma vez me aconteceu.

Nunca mudes.

1 comment:

inês said...

PERFEITO!
e obrigada meu amor, adoro-te $: