16 February 2011

Impotente?


Sinto-me impotente. Sinto que não posso fazer nada para mudar o que sentes, para te pôr feliz, para te fazer sentir bem. E para mim esta é a pior sensação possível. Não poder fazer-te sorrir, não te ver bem, e não poder fazer nada. Amo-te. Não sei como fazer. Preciso de te ver sorrir. Sei que não é comigo... Mas não quero que passes o mesmo que já passei. Essa angústia constante, e sensação de falta de controlo em tudo. Quero-te feliz. E sei que não tenho o direito de te exigir que estejas sempre a sorrir, ainda por cima eu, chorona que sou, tudo o que me apoias, também tenho de te apoiar. E quero, acredita. Só não sei como. Sinto-me tão, tão... Preciso de te poder fazer feliz, de te ouvir dizer "sinto-me tão bem, tão livre". E sei que não é como te sentes agora. Quero ver esse sorriso a todo o momento, o sorriso que me faz ignorar este mundo imundo, onde muitos não merecem estar, pois são eles que o tornam assim. Quero fazer-te feliz. Deixas? Deixa-me fazer de ti o homem mais feliz do mundo. Tornaste-te tão fechado e inacessível quando queres, e tornasse difícil para mim chegar a ti, torna-se complicado para mim entrar na tua cabeça e pensar o que tu pensas, como tu pensas. Não sei sequer em que pensas e quando o pensas. Às vezes gostava, embora te queira dar o teu espaço para reflectir. Não te quero sozinho, sempre que conseguires, deixa-me ficar do teu lado, e mesmo que não fales, mesmo que não me digas nada... Deixa-me ficar. Eu sei que se me olhares nos olhos vou saber o que pensas. O nosso amor é assim, forte. Não te feches para mim. Sou a pessoa que mais te apoia, apesar de às vezes sentir que te falho, sentir que podia fazer melhor. És a minha vida, e quando estás triste eu estou triste. Entendes? Tal como quando eu estou triste, tu triste ficas. Diz-me que te posso ajudar. Diz-me que posso ficar a teu lado. No silêncio ou a falar... Porque isso é uma relação, para o bem e para o mal. Eu não vou a lado nenhum, posso-te garantir. Por mais que me peças para ir, não vou embora. Vim para ficar, e acho que soubeste isso no minuto em que me pediste em namoro. E se não soubeste nessa altura, já descobriste entretanto. Confia em mim, abre-te comigo, abre o teu coração comigo como sempre fiz contigo. Eu preciso dessa comunicação. Preciso de te fazer feliz. É a minha missão, dever e direito, e vontade: fazer-te feliz. E já te disse, se essa missão não servir da nada... Não interessa, tu sabes. Amo-te com as minhas forças. E sim, mereces o mundo. Vai tudo ficar bem, acredita. Tudo vai acabar bem.

No comments: